Um bebê e um cachorro

Quando estava grávida ficava pensando como ficaria a minha relação com o Pocoyo e a dele com o Davi. Li em muitos blogs que essa relação ficava estremecida, às vezes a solução encontrada era doar o bichinho de estimação. Apesar de achar um absurdo isso, não me sentia na posição de julgar, já que nem mãe eu era.
Mas agora com um mês de Davi em casa, já posso contar pra vocês a minha experiência.
Lembrando que esse é o relato de uma experiência pessoal e não uma crítica às outras experiências!

Quando fui para a maternidade, o Pocoyo ficou na minha mãe. Lá ele tem duas amiguinhas, a Lola, sua irmã adotada gêmea e a Maggie, uma poodle. Sabia que para ele seria como uma colônia de férias, então fiquei tranquila. Até porque meus pais tratam o Pocoyo como se fosse deles, deixo lá de olhos fechados...
Quando tivemos alta, com toda a situação vivida com o Davi na uti, achei melhor que ele ficasse mais uns dias na casa da "vó". Meu marido não gostou muito, queria que o Pocoyo viesse logo pra casa, mas eu ainda estava um pouco insegura com aquele bebezinho tão pequeno.
Enfim, até perguntei pra pediatra se tudo bem termos um doguinho, com um bebê prematuro (que boba, né?) e a resposta não poderia ser melhor, ela disse que não havia problema nenhum e pelo contrário, seria muito bom, pois eles seriam amigos e companheiros. Só recomendou o que eu sempre fiz, que é vacinar e vermifugar.
Dito isso, o Léo foi buscá-lo na casa da vó e levou uma roupinha com o cheiro do Davi. Então, Pocoyo veio...nosso reencontro foi meio conturbado. Eu estava trocando o Davi que estava todo molhado (por que menino faz tanto xixi quando estamos trocando a fralda?) e não consegui dar muita atenção...meu marido estava filmando e ficou decepcionado, tadinho. Terminei o que estava fazendo e fui atrás do Pocoyo, que para minha decepção fugiu de mim...muito estranho!
Aos poucos consegui me aproximar e ele voltou ao normal. Pegamos o Davi para ele finalmente conhecê-lo...e foi como vocês verão no vídeo, um encontro bem tranquilo para ambos.
Diferente de muitas mamães, meu sentimento por ele continua o mesmo, o seu espaço aqui em casa também continua o mesmo. Não mudamos nada, ele continua dormindo no nosso quarto. Claro, que não deixamos ele ficar lambendo o Davi AINDA...kkkkk.

O Pocoyo está in love com o Davi, quando ele chora, o Pocoyo corre pro quarto e late para nos chamar! Não desgruda do bercinho, mas não pula ou encosta no Davi, ainda respeita muito. O Leo fala que ele pensa que é o nosso filho humano e o Davi seu bichinho de estimação...hehehe.

Continuo pegando no colo, fazendo carinho...e tudo o que fazia antes. Talvez um pouco menos, agora que não estou em repouso absoluto e não fico 24h na cama com ele do lado. Acho até que ele está mais feliz agora, já que a movimentação em casa é intensa e tem bastante distração.

Ele continua grudado em mim...

20130621-201626.jpg

Enfim, fiquei muito feliz de tudo ter dado certo da melhor maneira possível. Quanto aos cuidados, não sinto que fica pesado cuidar do cachorro e do filho, por enquanto, tudo tranquilo.

A única coisa de diferente que aconteceu foi um xixi perdido no tapete do quarto do Davi, mas foi um caso isolado num dia que o tapete higiênico dele estava no lugar errado. Além disso, o Pocoyo não marca território, só faz xixi na sua fraldinha, isso facilita muito a convivência e o meu trabalho...kkk.

Segue o videozinho...

http://www.youtube.com/watch?v=edAJ9M-_Rxw

Bom, acho que é isso. Se alguém tiver uma experiência parecida ou diferente, compartilhe!!!

Bjs,
Van;)

5 comentários:

  1. Acho que vc está certa em não separar e fazer distinção entre o Davi e o Pocoyo. Eles podem e serão grandes amigos. Abraços
    Raquel
    www.eudonadecasa.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ai ai... Eu tive problemas para me adaptar a Peppa
    me sentia perdida, sem norte não dava conta de um bb que chorava muito e tão menos de uma cachorra que que queria o colinho de sempre foi barra! E viva a dpp!
    Ainda bem que por aí deu td certo!
    Bj

    ResponderExcluir
  3. Pois é, Má...imagino o quanto foi difícil, ainda mais com a dpp...eu tinha muito medo de não dar certo, mas fiquei feliz que tudo deu certo. Além disso, o Pocoyo tem me dado ânimo e alegria naqueles momentos críticos de cansaço extremo...nem me imagino sem ele! E o Davi tb tem chorado bastante com cólicas e refluxo...o Pocoyo fica do lado dele, todo preocupado...kkkkkk.
    Bjs, Van ;)

    ResponderExcluir
  4. Van... Que lindo ficou o vídeo! Bom demais saber que eles estão se dando bem. O Pocoyo é um super irmão mais velho. Hahaha!

    bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acompanhe via email

Digite seu endereço de email:

Testei por Você © Copyright 2013. Desenvolvido por Elaine Gaspareto